FWF e SMPM iniciam parceria para capacitar mulheres

A Fundação Wall Ferraz e a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres deram o primeiro passo para a realização de uma parceria visando atender mulheres em situação de vulnerabilidade social, em Teresina.

Na primeira reunião entre as duas secretarias ficou definido que a FWF irá elaborar um cronograma com cursos profissionalizantes que serão oferecidos às mulheres atendidas pelos programas desenvolvidos pela SMPM.

Ao todo serão beneficiadas cerca de 600 mulheres atendidas pelo Florescer – Serviço de Atendimento Integral as Mulheres e Suas Crianças e pelo Centro de Referência as Mulheres em Situação de Violência “Esperança Garcia”.

“Estamos trabalhando para empoderar as mulheres da nossa capital e isso se faz com autonomia financeira. Por isso buscamos a FWF para oferecer cursos profissionalizantes que possam inserir essas mulheres no mercado de trabalho”, ressaltou Carol Leal, secretária executiva da SMPM.

“Foi uma reunião bastante produtiva para criação desse projeto que vai permitir que mulheres menos favorecidas ingressem no mercado de trabalho de forma digna”, afirmou Pedro Ferreira, superintendente executivo da FWF.

Cursos do Profissionalizar Mulher garantem qualificação profissional nas comunidades

A Prefeitura de Teresina (PMT), por meio da Fundação Wall Ferraz (FWF), encerrou esta semana as atividades dos cursos de artesanato em bonecas de pano e de manutenção de celulares. Somente este ano, a instituição garantiu a centenas de teresinenses cursos profissionalizantes nas mais diversas áreas, e entre eles, cursos voltados para mulheres através do Projeto Profissionalizar Mulher.

O curso de artesanato em bonecas de pano teve carga-horária de 50 horas aulas e foi realizado no Projeto Amor de Tia, na zona Norte. Já o de manutenção de celulares teve 60 horas aulas de carga-horária e aconteceu no Centro de Capacitação do Bairro Vermelha, na zona Sul da capital. Juntos, os dois cursos qualificaram 40 pessoas.

“Hoje o mercado de trabalho dispõe de muitas vagas, porém poucos são os profissionais que estão preparados perante as exigências para ocupar o cargo, por isso os técnicos da Fundação Wall Ferraz trabalham para aumentar ainda mais as ofertas de cursos, por sabermos que a qualificação profissional é imprescindível para a inserção no mercado de trabalho”, explicou o presidente da Fundação Wall Ferraz, Scheyvan Lima.

Sara Santos, que reside no bairro Cidade Leste, viu no curso de manutenção de celulares a oportunidade ideal para que ela ajudasse no sustento de sua família. “Já estou há algum tempo procurando um emprego e resolvi buscar a Fundação Wall Ferraz para me qualificar. Agora que terminei o curso, pretendo abrir meu próprio negócio, já que na comunidade onde moro não tem nenhuma lojinha de assistência técnica em celular”, afirmou Sara Santos.

Sara Santos fez o curso juntamente com o marido Ismael Carlos. – Foto: Jailson Rodrigues – ASCOM/FWF

Apesar de o Projeto Profissionalizar Mulher ser voltado apenas para mulheres, alguns homens também foram contemplados, como é o caso do Ismael Carlos, marido de Sara Santos. “Assim como eu, muitos maridos viriam deixar suas companheiras, e iriam ficar do lado de fora esperando o término do curso, vendo isso, à Fundação resolveu nos matricular para que tivéssemos a mesma oportunidade”, relatou Ismael Carlos, que hoje trabalha como agente de portaria graças a um curso que ele fez oferecido pela Fundação Wall Ferraz.

O Projeto Profissionalizar Mulher é desenvolvido pela Fundação Wall Ferraz e Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM). Para ter acesso a informações de novos cursos, projetos e oportunidades de emprego, basta acessar a site da Fundação Wall Ferraz na internet [https://fwf.pmt.pi.gov.br/ e as redes sociais. A FWF está localizada na Rua Coelho Rodrigues, número 900, na Praça da Bandeira, Centro de Teresina.

Curso de Artesanato com bonecas realizado no Projeto Amor de Tia – Foto: Mauricio Lima – ASCOM/FWF

Profissionalizar Mulher está com inscrições abertas para o curso de pintora predial

A Fundação Wall Ferraz segue com inscrições abertas para o curso de pintora predial, realizado através do projeto Profissionalizar Mulher. Para se inscrever, as interessadas devem se dirigir ao Centro de Capacitação do Residencial Leonel Brizola, na zona Norte de Teresina, com cópia do RG, CPF e os comprovantes de endereço e escolaridade. Desenvolvido em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), o projeto tem como objetivo promover autonomia produtiva e financeira das mulheres.

“Queremos oferecer para as mulheres teresinenses oportunidades de crescimento pessoal e profissional. E mais ainda, fazer com que elas vejam sua importância em nossa sociedade, que saibam das suas capacidades, dos seus direitos. Com os cursos de profissionalização elas vão ter a chance de aprender uma profissão, se inserir no mercado de trabalho formal ou mesmo desenvolver atividades autônomas”, pontua o presidente da fundação Wall Ferraz, Scheyvan Lima.

Na primeira fase do projeto, de 2013 a 2015, mais de mil mulheres foram qualificadas em diversas áreas, incluindo algumas tidas como exclusivas do universo masculino, como é o caso da Construção Civil. Em 2018, mais 125 vagas foram ofertadas contribuindo para a qualificação e autonomia produtiva das mulheres teresinenses.

Para ter acesso a informações de novos cursos, projetos e oportunidades de emprego, basta acessar a site da Fundação Wall Ferraz na internet [fwf.teresina.pi.gov.br] e as redes sociais. A FWF está localizada na Rua Coelho Rodrigues, número 900, na Praça da Bandeira, Centro de Teresina.

Profissionalizar Mulher tem aula inaugural nesta quarta-feira (19)

No início deste mês, o programa Profissionalizar Mulher abriu mais de 100 vagas em cursos de capacitação profissional. Em sua primeira edição mais de mil mulheres foram qualificadas para o mercado de trabalho. A aula inaugural do programa acontece nesta quarta-feira (19), às 16h no Palácio da Música.

Nesta segunda etapa do programa, os cursos ofertados contemplam as áreas de Alimentação, Beleza, Infraestrutura e Mídias digitais. São eles: Salgadeira, Corte de Cabelo e escova, Manicure e Pedicure, Eletricista Predial e Marketing em Mídias Sociais. Os cursos são realizados em cinco Centros de Capacitação nos bairros Dirceu II, Leonel Brizola, Parque Brasil, Piçarreira e Satélite.

Um dos diferencias desta nova etapa do Profissionalizar Mulher é a oferta de 25% das vagas para mulheres em situação de vulnerabilidade e risco social atendidas pela rede de enfrentamento à violência em Teresina.

“Queremos oferecer para as mulheres teresinenses oportunidades de crescimento pessoal e profissional. E mais ainda, fazer com que elas vejam sua importância em nossa sociedade, que saibam das suas capacidades, dos seus direitos. Com os cursos de profissionalização elas vão ter a chance de aprender uma profissão, se inserir no mercado de trabalho formal ou mesmo desenvolver atividades autônomas”, afirma a presidente da Fundação Wall Ferraz, Samara Pereira

A secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Macilane Gomes fala da importância da qualificação profissional para empoderamento econômico e inserção no mercado de trabalho: “O projeto é pensado para atender as diversas demandas dessas mulheres, então temos cursos nas áreas de beleza, alimentação informática, em horários e dias da semana diferentes e que 25% das vagas são destinadas para as mulheres atendidas pela rede de enfrentamento a violência, o que a gente observa é que muitas vezes essa violência é atrelada a essa dependência financeira por seus parceiros. Então rompendo essa barreira da dependência também podemos romper a barreira do silêncio de quem vive essa situação”, pontua.

O Projeto Profissionalizar Mulher é desenvolvido pela Fundação Wall Ferraz e Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres. Na primeira fase do programa, de 2013 a 2015, mais de 1.000 mulheres foram qualificadas em diversas áreas, incluindo algumas tidas como exclusivas do universo masculino, como é o caso da Construção Civil.

Profissionalizar Mulher abre 125 vagas em cursos de profissionalização

As mulheres teresinenses terão mais uma boa oportunidade de qualificação profissional. Iniciam nesta segunda-feira (3), as inscrições para 125 vagas do Programa Profissionalizar Mulher. A ideia do programa é promover igualdade entre os sexos e autonomia produtiva para as mulheres. As inscrições serão realizadas nos Centros de Capacitação até o dia 10 de setembro.

Um dos diferencias desta nova etapa do Profissionalizar Mulher, é a oferta de 25% das vagas para mulheres em situação de vulnerabilidade e risco social atendidas pela rede de enfrentamento à violência em Teresina. Para este grupo especifico, as inscrições serão realizadas no Centro de Referência Esperança Garcia.

Os cursos ofertados contemplam as áreas de Alimentação, Beleza, Infraestrutura e Mídias digitais. São eles: Salgadeira, Corte de Cabelo e escova, Manicure e Pedicure, Eletricista Predial e Marketing em Mídias Sociais. Os cursos serão realizados em cinco Centros de Capacitação, contemplando os bairros Dirceu II, Leonel Brizola, Parque Brasil, Piçarreira e Satélite.

“Vamos para mais uma etapa do Profissionalizar Mulher e neste ano o desafio é ainda maior. Queremos oferecer para as mulheres teresinenses oportunidades de crescimento pessoal e profissional. E mais ainda, fazer com que elas vejam sua importância em nossa sociedade, que saibam das suas capacidades, dos seus direitos. Com os cursos de profissionalização elas vão ter a chance de aprender uma profissão, se inserir no mercado de trabalho formal ou mesmo desenvolver atividades autônomas”, pontua a presidente da fundação Wall Ferraz, Samara Pereira

Além da qualificação profissional ofertada pela Fundação Wall Ferraz, as mulheres atendidas pelo programa vão participar de rodas de diálogo sobre gênero e empoderamento feminino desenvolvidas pela Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres.

Os cursos oferecidos contam com instrutores altamente capacitados, além de materiais didáticos de qualidade e que estejam de acordo com a demanda solicitada pelo mercado de trabalho. Além disso, os cursos atendem uma demanda das próprias mulheres, visto que no início do ano, a Fundação Wall Ferraz, em parceria com a Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), lançou uma pesquisa, por meio de questionário, no aplicativo COLAB. O objetivo da pesquisa era captar o interesse das mulheres teresinenses por capacitação e qualificação profissional.

“Eu fiz o curso de Pedreira através do Profissionalizar Mulher e hoje faço alguns serviços na vizinhança. O ruim é que ainda existe muito preconceito e muitas pessoas acreditam que não vamos dar conta porque é uma profissão que sempre foi vista como masculina. Mas a gente vai garantindo nosso espaço pouco a pouco. Eu mesma fiz o muro da minha casa e reboquei as paredes. Com mais essa oportunidade, muitas outras mulheres vão poder se qualificar e aprender uma profissão”, conta Jane Silva, ex aluna da Fundação Wall Ferraz.

O Projeto Profissionalizar Mulher é desenvolvido pela Fundação Wall Ferraz e Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres. Na primeira fase do programa, de 2013 a 2015, mais de 1.000 mulheres foram qualificadas em diversas áreas, incluindo algumas tidas como exclusivas do universo masculino, como é o caso da Construção Civil.

Confira aqui o cronograma

FWF está com consulta aberta sobre oferta de cursos do Profissionalizar Mulher

Desde o início do mês a Fundação Wall Ferraz (FWF) está com uma enquete aberta no aplicativo COLAB. A enquete tem o objetivo de captar o interesse das mulheres teresinenses por capacitação e qualificação profissional. O questionário para consulta estará disponível até o final do mês de junho.

Para acessar a pesquisa e enviarem suas solicitações e demandas, as mulheres devem baixar o aplicativo COLAB e fazerem um cadastro. Essa consulta pública com participação direta do público que será atendido pelo Profissionalizar Mulher é uma inovação na construção da política municipal dirigida.

Na primeira fase do Projeto Profissionalizar Mulher, de 2013 a 2015, a Fundação Wall Ferraz qualificou mais de 1000 mulheres em diversas áreas, incluindo algumas tidas como exclusivas do universo masculino, como é o caso da Construção Civil.

O COLAB tem sido utilizado pela Prefeitura de Teresina desde 2014 e é uma ferramenta criada com o objetivo de conectar pessoas que desejam reportar e divulgar demandas de suas respectivas regiões, servindo como ponte entre a população e o poder público.

Usuários de Android e iOS podem baixar do aplicativo do COLAB gratuitamente em seus smartphones e compartilhar as demandas de seus bairros.

Não deixe de participar!